domingo, 31 de março de 2013

CAU/MG em Viçosa


CAU/MG em Viçosa

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Minas Gerais – CAU/MG estará presente na cidade de Viçosa no dia 03 de abril, coletando os dados biométricos dos profissionais da região, participando de palestras e realizando encontro de esclarecimento institucional com os arquitetos e urbanistas.

Na oportunidade, os profissionais registrados junto ao Conselho, poderão comparecer no Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU/UF) da Universidade Federal de Viçosa, das 8h às 18h, e realizar a coleta de dados biométricos (foto, assinatura e impressão digital) para fins de emissão da nova carteira profissional. A identidade do CAU tem validade em todo o território nacional, sem prazo de vencimento, e pode ser utilizada como comprovação do registro profissional e também como identificação civil, em substituição ao documento de RG. Será produzida em policarbonato e conterá chip com informações do arquiteto e urbanista, o que permitirá maior agilidade e segurança na prestação de serviços online pelo Sistema de Informação e Comunicação do CAU (SICCAU).

Para o arquiteto e urbanista Joel Campolina, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Minas Gerais - CAU/MG, a nova carteira de identidade profissional dos Arquitetos e Urbanistas proporcionará maior agilidade e segurança. "A carteira de identidade profissional inova pela tecnologia de ponta pela qual é produzida. Com os novos dispositivos implantados, ficará praticamente impossível danificar ou falsificar a carteira proporcionando, assim, maior segurança e agilidade para todos os arquitetos e urbanista de Minas Gerais e do Brasil”, disse.

Minas Território da Cultura, Arquitetura e Urbanismo

Em parceria com o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Minas Gerais – CAU/MG realiza na cidade de Viçosa a palestra “A UFV e o CAU aliados na Cultura e na Arquitetura e Urbanismo”, a palestra está inserida dentro da programação oficial do projeto “Minas Território da Cultura” e será proferida pelo Conselheiro e representante do CAU/MG na região, o arquiteto e urbanista Ítalo Stephan, Prof. Dr.

Sobre o MINAS Território da Cultura – O MINAS Território da Cultura é um programa articulado de descentralização da ação cultural que ocorrerá ao longo de 2013 e 2014. Entre os objetivos do programa estão: promover o desenvolvimento regional por meio da cultura; valorizar e divulgar a diversidade cultural de cada uma das regiões de Minas; conferir visibilidade e aumentar a demanda pelas ações e programas da SEC e de seus parceiros; incentivar parcerias público-privadas; promover a circulação de bens culturais e a capacitação e aperfeiçoamento dos agentes culturais visando à sustentabilidade social e cultural.


sexta-feira, 29 de março de 2013

110.000!

Obrigado a todos!.
Chegamos às 110.000 visualizações de página!

Eu quero ser cidadão!

Esses sim são motivos para protestos e manifestações públicas!

Fonte: Isso é Brasil
https://www.facebook.com/issoebrasil

Pescaria no Campus da UFV

Semana Santa em Viçosa: a UFV libera a pescaria nos lagos do Campus. Uma festa só!


Vejam a turma dando banho nas minhocas.

terça-feira, 26 de março de 2013

Evento em Viçosa





PROJETO MINAS TERRITÓRIO DA CULTURA E DA ARQUITETURA E URBANISMO

SEMEC / CAU-MG / DAU-UFV

EVENTO EM VIÇOSA,

Dia 03/04/2013

8h às 18h - Coleta de dados biométricos
Coleta de dados biométricos dos profissionais arquitetos e urbanistas da região.
Local: DAU/UFV

13h30 às 14h – Lançamento do Programa MINAS TERRITÓRIO DA CULTURA da Secretaria de Estado de Cultura.
Local: Salão Nobre da UFV

14h às 14h30 - Palestra: “A UFV e o CAU aliados na Cultura e na Arquitetura e Urbanismo”
Apresentadores: Conselheiro do CAU/MG, Ítalo Stephan, Prof. Dr.  e  professores do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFV.
Local: Salão Nobre da UFV

14h30 às 17h30 - Reunião Itinerante do CONSEC
Local: Salão Nobre da UFV

18h30m – Encontro com os Profissionais - Técnicos e Conselheiros do CAU-MG - para tirar dúvidas
Local: DAU/UFV


Apoio:
Departamento de Arquitetura e Urbanismo
Conselho Municipal de Cultura e Patrimônio Cultural e Ambiental de Viçosa - CMCPCA.
Câmara Municipal de Viçosa
Conselho de Arquitetura  e Urbanismo -  CAU-MG
IAB-MG - Instituto dos Arquitetos do Brasil - Minas Gerais

domingo, 24 de março de 2013

Ciclovias em Juiz de Fora


Quando é que Juiz de Fora terá ciclovias e boas pistas de caminhada?
Quando é que Juiz de Fora irá implementar o Plano Diretor Cicloviário Integrado?
Cabe fazer concursos de projetos para que os ciclistas possam chegar ao centro de Juiz de Fora, como à avenida Getúlio Vargas e Avenida Rio Branco.

A Avenida Brasil, em seus mais de 10 km de extensão está à espera. Mais ainda os seus usuários e usuários em potencial.

Ver mais:
http://www.camarajf.mg.gov.br/noticias.php?cod=5732
http://www.flaviocheker.com.br/ciclovias-dando-passagem-para-um-transporte-mais-limpo-e-saudavel-para-jf
http://www.tribunademinas.com.br/politica/ciclistas-discutem-plano-cicloviario-para-juiz-de-fora-1.1062779
http://www.youtube.com/watch?v=CPb-sfuvrRI

sábado, 23 de março de 2013

Desrespeito aos cidadãos

Decidi ser solidário com o Carlos Joaquim Einloft e com tantas outras pessoas indignadas com a falta de respeito aos cidadãos.

Eis sua mensagem:
Decidi postar algumas das barbaridades que acontecem nas nossas ruas, que vamos vendo dia após dia, e, talvez, vamos naturalizando a convivência com elas. No caso dos carros, deixei as placas expostas. Eventualmente, algum desses distintos cavalheiros que me obrigam a caminhar no meio da rua com meus filhos queiram me levar ao Ministério Público por causa disso. É bem provável mesmo que eu seja condenado a prestar algum serviço comunitário, coisa que até aprecio. Fotos tiradas no dia 22 de março de 2013, por volta das 16 horas.


Eu estaciono na calçada por que sou melhor do que você e tenho esse direito. Você pode andar com seus filhos pela rua. Não me importo. Sou o bom! (SETRA serve pra quê mesmo?)

O que significa aquela placa ali mesmo? (SETRA serve pra quê mesmo?)

Muito bem Carlos. Estamos juntos nessa e outras tantas coisas que fazem as nossas cidades inseguras, desumanas, tristes e feias.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Casa Brasileira


 2030? ...


Vivemos com medo! We live with fear!
Ver em:
https://www.facebook.com/issoebrasil

A GENIALIDADE E O ATRASO

Texto publicado no Jornal Tribuna livre, n. 1136, em 27/03/2013

A Arquitetura de Lélé

Estamos na segunda década do século XXI e o que tem sido produzido como habitação de interesse social no Brasil é lamentável. Vale, por parte do Estado e do poderoso setor da construção civil, inundar-nos de estatísticas e propagandas sobre os sucessos das centenas de milhares de habitações produzidas. A realidade é muito diferente. Utilizam-se praticamente as mesmas técnicas construtivas de cinquenta, sessenta anos atrás e produzem-se aglomerações urbanas piores, pois mais afastadas dos centros urbanos, mais segregadas das regiões de moradias de classe média, afastadas dos locais de trabalho, isoladas e sem condições adequadas de mobilidade. Produzem-se as “não-cidades”. Enfim, enquanto a tecnologia nos oferece Ipads, tablets, automóveis computadorizados, nuvem informática, nanotecnologia, ressonância magnética e satélites, as nossas cidades estão mais feias, atrasadas, injustas e sujeitas a vários problemas sociais.
Se procurarmos mundo afora, encontraremos soluções para habitação social de altíssima qualidade, com baixo custo e de eficácia social (ver Housing Complex na Eslovênia; vários projetos em Singapura; Iquique, no Chile; Nijmegen na Holanda; Carabanchel, em Madrid; projetos dos arquiteto Evgeni leonov na Inglaterra). Políticas, técnicas e tecnologias modernas têm chegado às populações de baixa renda, possibilitando a inclusão na vida urbana. As qualidades de conforto e as estéticas acompanham as demais qualidades. Aqui em Pindorama (uma designação pré-cabralina dada a regiões formariam o Brasil), prevalece o atraso, à custa de politicagem, corrupção, desperdício, negligência quanto às boas práticas do urbanismo e do planejamento urbano.

Nijmegen - Holanda

Conjunto habitacional na Eslovênia

Temos profissionais em condições de revolucionar a qualidade da habitação que, entretanto encontram todo tipo de obstáculos. João Filgueiras Lima, carioca nascido em 1932, também conhecido como Lélé, é um dos mais importantes arquitetos do Brasil. Reconhecido no mundo, ele trabalhou com Oscar Niemeyer e é o genial projetista dos hospitais da excepcional Rede Sarah, com hospitais espalhados nas principais capitais do país. Sua extensa obra arquitetônica caracteriza-se especialmente pela contínua e eficaz busca da racionalização e da industrialização da arquitetura. Formado há cinquenta e sete anos, criou uma fábrica que pré-fabricava todos os componentes metálicos e argamassa armada, peças – estruturas, paredes, coberturas, móveis, esquadrias - de hospitais, escolas, creches, prédios institucionais. Lélé é autor de uma arquitetura de excepcional qualidade ambiental, técnica, humanizada e economicamente viável. Sua capacidade criativa e técnica permitiu que desenvolvesse um projeto para o programa Minha Casa Minha Vida, com melhor gestão, com qualidade, melhor arquitetura e custo mais baixo que a mediocridade produzida em todo o território nacional. Chegou a comprar um terreno para instalar a indústria, entretanto o poder do atraso o venceu. O setor da construção civil e seus aliados políticos fizeram prevalecer seus interesses. Foram colocados obstáculos à sua realização. O projeto de construir uma fábrica de casas, prevista como uma Oscip (Organização Da Sociedade Civil de Interesse Público) foi rejeitado por entraves jurídicos e trabalhistas.
Assim, permanecemos fazendo o errado, de forma irresponsável, idolatrando políticos e enaltecendo estatísticas, desprezando o conhecimento acumulado e ampliando os custos sociais. Continuamos construindo frágeis e solúveis casinhas, fragmentando e espraiando perigosamente nossas cidades do velho novo século. Por esse atraso, dentre outros fatores, nosso país permanece e permanecerá na 85ª posição no índice de desenvolvimento no planetinha azul.

Fotos: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://2.bp.blogspot.com  / theurbanearth.wordpress.com

domingo, 17 de março de 2013

Arquitetura insustestável


Vejam a quantidade de madeira usada na construção de uma casa comum. Primeiros fazemos a casa de madeira,  enchemos de concreto e depois jogamos a madeira fora. Mesmo que  reaproveitemos parte dela, a maior parte se perde. Está na hora de mudar esta lógica.

Por que não aqui em nossa cidade?




Sorocaba investe em ciclovias seguras e nº de bicicletas já torna-se quase igual ao de carros. São 106 km - a maior de SP - protegidos por grades e canteiros, sinalizados e iluminados. É possível atravessar a cidade toda sem sair da via exclusiva. Há ainda 19 estações de empréstimo de bikes. Em quatro anos, apenas uma morte.

Parabéns à Sorocaba e à todas as iniciativas neste sentido!

Veja mais em http://migre.me/dI5tF

sábado, 16 de março de 2013

Curso de autoinstrução a distância Reabilitação Urbana com foco em Áreas Centrais


Alô arquitetos e estudantes de arquitetura e urbanismo:
Façam seu cadastro no programa CAPACIDADES do ministério das cidades.
É rápido e dará a vocês o direito de participar, sem ônus, dos cursos e demais atividades promovidas por este que é o mais importante ministério para nós, atuais, e também para os futuros, arquitetos e urbanistas

Curso de autoinstrução a distância Reabilitação Urbana com foco em Áreas Centrais
Veja mais:

http://www.capacidades.gov.br/evento/131/1%C2%BA+Curso+a+distancia+de+autoinstrucao+-+Reabilitacao+Urbana+com+foco+em+Areas+Centrais

quinta-feira, 14 de março de 2013

Arquitetura de broche


Em belo Horizonte, esta foi uma maneira de "preservar" um sobradinho. O que vocês arquitetos e urbanistas acham disto?

terça-feira, 12 de março de 2013

Responda, se puder


Responda, se puder!


Sua cidade tem:
- um setor de planejamento urbano?
- arquitetos e urbanistas nos setores da administração municipal?
- plano diretor urbano aplicado?
- conselho da cidade funcionando?
- a prefeitura exige RRT (Registro de responsabilidade técnica) de projeto arquitetônico?
- algum índice urbanístico é considerado para a aprovação de projetos residenciais multifamiliares?
- as APPs de cursos d´água são respeitados?
- fiscalização de obras e posturas eficiente?

Quem responder sim a algumas dessas perguntas, por favor espalhe aos quatro cantos do mundo!
Quem responder sim a  todas estas perguntas, só pode ser um mentiroso.

Isso deve ficar assim?
O que podemos fazer?


Um bom começo:
Sua cidade tem:
- um setor de planejamento urbano? Sim
- arquitetos e urbanistas nos setores da administração municipal? Sim, vários, mais de 20!
- plano diretor urbano aplicado? Sim. Já é o quarto, se não me engano...
- conselho da cidade funcionando? Sim
- a prefeitura exige RRT (Registro de responsabilidade técnica) de projeto arquitetônico?
Sim, ou ART para engenheiros...
- algum índice urbanístico é considerado para a aprovação de projetos residenciais multifamiliares?
Que tipo de índices? Essa é meio vaga... Temos índices que foram usados no zoneamento, alguns recursos como medidas mitigativas e compensatórias, essas coisas.
- as APPs de cursos d´água são respeitados? Sim, mas tem muita coisa antiga ainda a consertar.
- fiscalização de obras e posturas eficiente? Deficitária, mas tem. Caminhando.
Abraços,
Sérgio Stein de Uberlândia!


Bruno Sitta diz:
Estou morando em Ilhéus, e por aqui respondo as perguntas na ordem:
-Sim;
-Sim;
-Em partes apenas;
-Em partes apenas;
-Sim;
-Alguns;
-Não;
-Não.


Racchel Santiago diz:
Dionísio-MG -  arrasando e ganhando um "não" para todas as respostas.


segunda-feira, 11 de março de 2013

Falece Roberto Segre


Lamentamos a morte do grande professor Roberto Segre. Uma moto cruzou seu caminho. O Brasil, a América Latina perdem muito com o grande crítico da Arquitetura.

Foto de Cêça Guimaraens

Verticalização


O processo de verticalização vem ocorrendo com bastante vigor nas cidades pequenas e médias.


Em Conselheiro Lafaiete, que se consolida como um pólo microrregional, o fenômeno não é diferente. Resta saber se há um acompanhamento pelo setor de planejamento urbano, especialmente quanto ao trânsito,  pois é sabido que a cidade apresenta um dos maiores percentuais de automóvel por habitante, em Minas Gerais.

Bruno Lana diz:
Pelo contrário, nunca teve um setor de planejamento urbano, muito menos arquitetos, urbanistas e/ou geógrafos nos setores da administração municipal. Inclusive, nenhum índice urbanístico deve ter sido considerado para a "aprovação" desses edifícios.
Tem alguma coisa que possa ser feita quanto a isso? Algum tipo de denúncia?

Prezado Bruno:
Cobre da Câmara Municipal, faça um grupo que reivindique as  medidas, acione o Ministério Público,  denuncie ao CAU, escreva para os jornais.

quarta-feira, 6 de março de 2013

segunda-feira, 4 de março de 2013

Conjunto histórico

Residência da família Ramos

Duas das casas de arquitetura eclética da Avenida Bueno Brandão. Lindas, bem cuidadas. Preservadas, até não se sabe quando.

Residência da Professora Terezinha Mucci

Pedra no caminho

Esta construção desforme é uma pedra no caminho da melhorias da área da estação Cultural. Deveria dar lugar a algo melhor.

domingo, 3 de março de 2013

Patrimônio arquitetônico em Viçosa


Os proprietários da primeira casa querem preservá-la. Parabéns para eles.
Os das duas outras, derrubá-las. Lamentamos.
Vamos apoiar os primeiros e cobrar dos outros boas ideias para manter o importante conjunto que marca a identidade de Viçosa.

sábado, 2 de março de 2013

Chuvas em Viçosa


Do limão à limonada!!!! Não deixa de ser um alerta para os problemas de drenagem urbana.
Foto postada por Jansen Faria.

Qualislândia: Praga - República Tcheca


Praga é um dos mais belos e antigos centros urbanos da Europa, famosa pelo extenso patrimônio arquitetônico e rica vida cultural.


A cidade das cem torres, a Paris do Leste, Praga Dourada, a cidade no coração da Europa, cidade mágica.
Sua população é população de 1 238 000 habitantes.


Praga é famosa por sua intensa vida cultural, ligada a nomes da estatura dos compositores Bedrich Smetana e Antonín Dvorák e dos escritores Franz Kafka, Rainer Maria Rilke e Jaroslav Hašek.

Fotos de Alice Stephan, fev. 2013

sexta-feira, 1 de março de 2013

Poesia e Arquitetura: Largo

Poesia e Arquitetura: Largo / Carlos Nóbrega

Gostaria que não tivesses nome
e se o tivesses, não fosse de homem,
fosse de Vento: Praça de Sonho.

Não precisava haver em ti
nenhum relógio, nenhuma lâmpada,
nenhuma lógica. Fonte nenhuma.

Existirias sem nada disso.
Tinhas que ser,
és o que és,
Existirias

(o que se fixa
no olhar disperso
dos transeuntes

é o que se altera
no olhar transverso
dos que te habitam).

Existirias porque teus loucos te criariam
e não fossem eles
o homem comum te sonharia;

existirias porque tuas putas te sonhariam
e não sendo elas
as que são santas te criariam;

e se não fosses o púlpito
para os alucinados de Deus,
uma confraria de ateus te fundaria.

E se os teus velhos não tivessem em teus bancos
o ardor dos colegiais,
e as anciãs não vagueassem por ti
lambuzadas de cosméticos,
jovens desesperadas
em tuas árvores armariam suas forcas,
e te edificariam com seus atos.

E se os apressados não reduzissem os passos
ao te cruzar
os mutilados se apressariam em te criar.
Os mendigos o fariam, ou os viciados,
ou os homens ricos, ou este vira-latas.
No entanto tu és a construção inacabada
do dia-a-dia
que mãos opostas edificam em mutirão.

E se ninguém, nem mesmo o Mito,
te tivesse criado,
eu te criaria, pois sou um pouco de todos
os que pulsam em ti.
E se não posso cantar o mundo,
te canto, ó praça dos boticários,
ó praça das rameiras
dos estrangeiros
das balconistas
das crianças perdidas
dos deserdados
das bem sucedidas
dos desocupados
das bêbadas
dos que se irradiam,
Ó praça do mundo inteiro.

Há um relâmpago
sobre ti que não se apaga,
que vem dos vivos
do olhar dos vivos
da voz dos vivos
e das suas almas.
És o que és
Praça da Luz
o espaço que alforria
as peles de toda cor
E todos os que estão em ti
ardem do que são
os pequenos ladrões
as grandes ladras
os cafetões e as namoradas
com seus olhares enigmáticos
os gazeadores
os artistas sem ribalta
as gordas e magras
os anjos caídos
as moças grávidas
os avarentos
os demagogos
os apostadores
todas as mágicas
todos os mágicos
mestres da vida
E esta menina em laços de fita
dando milho aos pombos,
que é teu monumento
Te quero sempre assim incompreensível
ó Praça
Sempre assim à beira do delírio.

Aluga-se loja com pinico


Como as lojas/trambolhos/invasões da Praça do Carandiru não têm banheiro, quem alugar vai ter direito a um pinico.

Por que não em Viçosa?


De Pedro Caetano

Por que não em Viçosa?


Pessoal, sei que o intuito do museu é partilhar da memória da nossa querida cidade. Mas tomei a liberdade de colocar essa foto para ilustrar uma ideia que é antiga, porém que nunca saiu do papel!

Imagina se tivéssemos um trem igual a este da foto, facilitando a locomoção dos estudantes e também dos trabalhadores para a UFV.
Poderia ligar a estação do centro da cidade até a outra estação do DCE na UFV. Acho que seria tão útil e valorizaria muito a cultura e o turismo para nossa cidade.

Fica a dica, senhores governantes!


Lembro que em 1994 já tínhamos o projeto Unicidades! - unir a cidade com a univercidade, unir as cidades.
Dois vagões - um como biblioteca, outro como teatro, puxados por uma locomotiva - levariam cultura e extensão ao longo da Leopoldina.
No governo de Geraldo Reis, Viçosa ganhou os vagões e eles apodreceram em Ponte Nova.
Depois vieram mais ideias do uso de um VLT e um estudo de viabilidade econômica. A ideia some e volta. Tomara que, cada vez com mais força.
O sonho não acabou!