quinta-feira, 30 de maio de 2013

Vamos discutir Viçosa: convite


Texto publicado no jornal Tribuna Livre, dia 29 de maio de 2013.


Vamos discutir Viçosa
Dia 07/06 - 19:00h - Câmara Municipal de Viçosa
Dia 08/06 - 8:00h -12:00h- Discussão de grupos nos Eixos Temáticos - 14:00 1 17:00h - Encerramento - CEE / UFV

Será realizada, no nosso município, nos próximos dias 7 e 8 de junho, a 5ª Conferência da Cidade de Viçosa, com o tema “Implicações do crescimento desordenado: como podemos mudar este cenário?” A Conferência das Cidades foi criada pelo Ministério das Cidades para consolidar a parceria entre os governos e a sociedade civil, visando à construção de um modelo de política urbana com a participação efetiva dos municípios. O objetivo do encontro é sensibilizar e mobilizar a comunidade viçosense para o estabelecimento de agendas, metas e planos de ação para enfrentar os problemas existentes na cidade.  A conferência é uma oportunidade para a população participar de debates sobre questões que poderão influenciar, no futuro, a nossa comunidade. Outros objetivos da Conferência são identificar os problemas enfrentados pelas cidades no que se refere ao crescimento urbano; elaborar propostas para a diminuição da desigualdade social, como também promover o desenvolvimento funcional do município, sem degradar a natureza.

 O governo federal vem estimulando o desenvolvimento de mecanismos e instrumentos vinculados ao repasse de recursos, ou seja, para que um município tenha acesso aos recursos financeiros federais e estaduais ele precisa ter um Conselho da cidade atuante, um plano diretor atualizado, assim como os planos de habitação, saneamento e mobilidade. Essa medida do governo federal aumenta a importância do planejamento. A partir de 2015, recursos do Ministério das Cidades só sairão, se os Conselhos da Cidade estiverem em funcionamento.

A Conferência será realizada com a discussão de quatro eixos temáticos: cidade e habitação; meio ambiente e saneamento; transporte, mobilidade e acessibilidade e política urbana e participação.  Esses eixos foram definidos a partir de um texto de discussão enviado pelo Ministério das Cidades. Para os quatro eixos ficarão perguntas em comum: Como mudar ou melhorar o quadro atual? Como é o funcionamento dos Conselhos municipais relacionados aos temas?

No eixo temático “cidade e habitação”, há a preocupação com os vazios urbanos; se os terrenos vazios estão sendo disponibilizados para moradia; se o município tem Zonas Especiais de Interesse Social - ZEIS - demarcadas. Sobre o Programa Minha Casa Minha Vida, será necessária uma discussão de como levar a cidade até a população marginalizada pela distância.

No eixo temático “meio ambiente e saneamento” deverá ser identificado em que situação o nosso meio ambiente se encontra. Como está a demarcação de Áreas de Proteção Ambiental - APA. Como o município trata as Áreas de Preservação Permanente – APP? Sabemos que uma das mais urgentes é a  APA do São Bartolomeu / Paraíso. Será importante avaliar também como está o serviço de abastecimento de água, o serviço de coleta e tratamento de esgotos, o serviço de coleta e destinação final dos resíduos sólidos e o serviço de drenagem.

No eixo temático “transporte, mobilidade e acessibilidade”, serão tratados assuntos da maior importância para todos os munícipes. Sabemos que as condições de mobilidade e de acessibilidade em Viçosa são precaríssimas e que o trânsito é um problema sério. O Município agora se vê obrigado a elaborar seu Plano de Mobilidade, e o evento trará subsídios para ele.

No eixo temático “política urbana e participação”, deverá  ser discutido o funcionamento do Conselho Municipal de Planejamento. Devem ser esclarecidas as razões por que o município ainda não tem um plano diretor atualizado, como também ser apontadas sugestões de como fazer o IPLAM atuar em todas as atribuições que lhe cabem. Outro assunto importante a ser discutido é o crescimento de Viçosa. È necessário observar até que ponto a cidade está crescendo de forma desordenada e apontar soluções para reverter este processo. A Conferência é uma oportunidade rara para discutir os rumos de Viçosa. Está aberta a quem quiser participar. Sintam-se convidados!

AMEVIÇOSA

Conheça e faça parte!



https://www.facebook.com/pages/Ameviçosa/312839592179264
http://www.amarribo.org.br/

domingo, 26 de maio de 2013

Calçadas de São Luís do Maranhão

S.O.S. São Luís




Acessibilidade zero!

Poluição visual em Viçosa


No meio da praça da Avenida Santa Rita: mesas, cadeiras, trailers, suporte para outdoors. Ferrugem, pixação, sujeira.  Pouco espaço para flores e grama crescerem. Espaço público ocupado. .

Patrimônio modernista em Viçosa


Escola Municipal Coronel Antônio da Silva Bernardes - CASB - prédio de arquitetura modernista em pleno coração da cidade de Viçosa.

sábado, 25 de maio de 2013

Andar de ônibus


Andar de ônibus é legal. É o meio mais democrático e sustentável. Mas não é legal o preço da passagem, nem a baixa oferta de horários nem a qualidade dos pontos de parada.

Aluga-se


Há centenas de imóveis colocados para aluguel em Viçosa. O valor do aluguel já está abaixando. Há ainda outras centenas de apartamentos em fase final de construção. Vai sobrar imóveis em Viçosa.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Há vida inteligente na Terra!


Ônibus de graça, melhor qualidade de vida!
Em janeiro desse ano, a cidade de Tallinn, na Estônia, resolveu que seu transporte público seria de graça a todos os cidadãos. Com um pouco mais de 400 mil habitantes, a cidade que votou pela iniciativa através de um referendo já pode perceber os benefícios dessa decisão em apenas 4 meses.

Parabéns gestores de Tallin!

http://afude.cc/post/51165841779/bus-de-graca-melhor-qualidade-de-vida-em-janeiro
http://www1.folha.uol.com.br/turismo/1221941-tallinn-e-primeira-capital-europeia-com-transporte-publico-gratis.shtml

Aguinaldo Pacheco:
A tarifa ZERO implementada por Erundina em São Paulo foi boicotada pelas empresas de ônibus. Mas é uma solução em discussão no mundo. Tarifa ZERO para o usuário estimula o uso do transporte coletivo, esvazia as ruas, reduz a poluição, melhora a saúde, e outras melhorias a mais. É uma. Tarifa ZERO em Viçosa e fim do monopólio da Viação União. Esta é uma solução.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

ENTECA 2013



Venho, por meio desta, divulgar a realização do IX Encontro Tecnológico de
Engenharia e Arquitetura – ENTECA 2013, promovido pelos Departamentos de Engenharia
Civil e de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá, no Paraná.

Este evento ocorrerá em Maringá-PR no período de 01 a 03 de outubro de 2013.

O prazo para envio dos artigos é 21 de julho de 2013. Maiores informações estão disponibilizadas no
site www.dec.uem.br/enteca.

http://www.eventos.uem.br/index.php/enteca/2013
http://www.eventos.uem.br/index.php/enteca/2013/schedConf/cfp


terça-feira, 21 de maio de 2013

Cadê o Plano Diretor de Viçosa ?


O Plano vigente é o de 2000. A revisão, entregue ao prefeito em 2008, até hoje não foi discutida. Viçosa está sem rumo, abandonada, ameaçada por um anacrônico Planejamento Estratégico. O IPLAM não está estruturado e o COMPLAN inativo.


O meio ambiente está em perigo, a ameaça ao esgotamento de fontes de água é iminente, o trânsito um inferno, a acessibilidade não existe, a falta de  mobilidade aumenta as injustiças sociais. Há prédios demais, apartamentos demais, calçadas e lazer de menos.

Pela APA do São Bartolomeu!



É urgente criar a APA do São Bartolomeu.
A população do Paraíso está sendo muito pressionada pelos que querem a urbanização a qualquer preço e de qualquer jeito.
Vereadores, cidadãos, Ministério Público, ONGs, Associações, cobrem pela APA!



domingo, 19 de maio de 2013

A Cidade do Futuro - I

Artigo publicado no jornal Tribuna Livre, de Viçosa-MG, em 03 de julho de 2010


Biblioteca-parque em Medellin, Colômbia. Um laboratório cultural contra a violência.

O futuro já chegou para muitas cidades no mundo. Hong Kong foi eleita recentemente como a melhor do mundo para se viver, em termos de oportunidade de trabalho e de mobilidade. É também a cidade com o maior número de arranha-céus – são mais de 7.600! A cidade chinesa possui proporcionalmente dez vezes menos automóveis que a capital de São Paulo. O prefeito proibiu a cidade de crescer para os lados.  O sistema de transportes coletivos funciona. A prefeitura estimulou o hábito de andar a pé e isso deu certo.  Em Vancouver, no Canadá, uma outra cidade com altíssima qualidade de vida, cerca de 40% da população dispensa carro e vai ao trabalho caminhando. É assim no primeiro mundo. Dá para ser assim aqui.

A cidade do futuro precisa parar de crescer indefinidamente para os lados. Deve ser mais compacta. O custo de manutenção de uma cidade de malha urbana compacta e de alta densidade populacional é muito menor que o daquelas que se esticam sem parar. Crescer verticalmente não é problema, desde que seja bem planejado. É necessário ter transporte coletivo com diversas modalidades.

O transporte público, seja ônibus, bonde, VLT, trem, metrô ou  barca deve ser abundante, barato, limpo, confortável e seguro. É preciso eliminar vagas de estacionamento, alargar calçadas e construir calçadões e ciclovias. Isso já ocorre nas cidades e contribui com boa qualidade de vida.

A cidade precisa preencher seus imprestáveis vazios urbanos. É intolerável admitir terrenos vazios no meio da malha urbana, que estejam apenas aguardando valorização. Cumprir a função social da propriedade é um princípio fundamental e há instrumentos urbanísticos para combater a especulação, perfeitamente aplicáveis como o IPTU progressivo no tempo e a criação de Zonas de Especial Interesse (com regras especiais) para habitação de baixa renda de qualidade e  dignidade. Os prefeitos conhecem essas práticas, mas falta coragem política de aplicá-las.

A cidade deverá oferecer bibliotecas em todos os bairros e ter centros culturais com cinemas, teatros, oficinas de arte em todas as suas regiões, para alcançar a todos os seus moradores. Precisa oferecer doze metros quadrados de área verde por habitante, uma meta muito longe ainda de ser alcançada por aqui (só ocorre em Curitiba). A cidade precisa respeitar seus cursos d’água, conviver harmoniosamente com eles e, aos poucos devolver os seus leitos revitalizados. A solução dos parques lineares é muito difundida nos países desenvolvidos (veja o Rio Cheong Gye Cheon em Seul). Um parque linear, além de proteger as várzeas e evitar o assoreamento, representa a oferta de opções de recreação, lazer e equipamentos de ginástica. A água deverá ser tratada como bem esgotável. A chuva deve ser armazenada, a água reutilizada. As coberturas e paredes dos prédios produzirão alimentos energia.


Rio Cheonggyecheon em Seul

Tudo isso já acontece em algum lugar do mundo. Quão longe estamos do futuro? Nossas cidades sequer atendem às necessidades básicas de saneamento, pois tratam apenas parte dos esgotos; mal conseguem drenar as águas pluviais e dar um fim adequado ao lixo. Os conjuntos habitacionais de baixa renda são vergonhosos arremedos de cidades. Um dia, devemos crer, poderemos ter nossas cidades com os atributos citados ou ficaremos atolados num passado interminável? Quem pode alcançar esses benefícios? Quem pode mudar tudo isso? A resposta é a mais óbvia de todas. Todos a temos de cor e salteado. Basta que sejamos nós os agentes da mudança.

http://josegenao.wordpress.com/2006/12/01/un-laboratorio-cultural-contra-la-violencia/http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/cidade/projeto-restauracao-cheonggyecheon-seul-parques-lineares-552633.shtml


The Moses Bridge, Netherlands




The Moses Bridge, Netherlands em:
Ver mais
Amazing Things in the World

sábado, 18 de maio de 2013

APA do São Bartolomeu junto à Ouvidoria do Ministério Público de MG


Há muitas áreas de interesse para a construção civil no Paraíso. APA primeiro!

Manifestação quanto à criação da APA do São Bartolomeu junto à Ouvidoria do Ministério Público de MG:

Há uma enorme pressão por parte de empresários para transformar uma região rural de Viçosa em área urbana (Levou o nome de ZR-5 do Paraíso) onde se encontram as nascentes do Ribeirão S. Bartolomeu, principal abastecedor de água do município. Houve um projeto de lei para tal, discutido na Câmara no final de 2012. O projeto foi derrubado após ampla manifestação contrária da população. No entanto, há claras manifestações dos interessados em urbanizar a região. O motivo da rejeição da lei foi a necessidade prioritária de criar uma APA na região e nada ainda foi feito.

Número da manifestação:

78534052013-7 de 18/05/2013

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O progresso avança!


Técnicos da prefeitura afirmam que não aprovam prédios dentro das áreas de proteção permanente dos rios. Estamos enxergando muito mal. Enquanto isso os prédios avançam vorazmente e agora sobram poucos terrenos às margens dos rios, mas por pouco tempo.
Será que a "bolha" imobiliária estoura antes?
Já há imóveis demais e compradores de menos.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

domingo, 12 de maio de 2013

Tudo errado!

A Rua Dr. Milton Bandeira, em Viçosa, é um exemplo de tudo errado em urbanização e planejamento urbano.


Falta alinhamento dos prédios. Falta harmonia entre as construções. Há uma confusão visual nas placas das lojas e outdoors. As lojas ocupam os espaços das calçadas.
A rua está sempre suja. Está espremida entre um curso d'água e um barranco gigantesco. Sempre terá riscos ambientais.


Falta rua para tanto carro mas isso parece não importar para as centenas de novos apartamentos em construção.
Falta qualidade na arquitetura dos prédios.


Vai faltar rua, estacionamento, passeios acessíveis, iluminação e ventilação.
Vai ficar pior do que já é.
Lugar que não dá vontade  nenhuma de ir!

Comentário GBRF:
Penso que, para começar, a rua não era para existir. Ela está localizada em um morro cuja declividade é superior a 30%, totalmente impróprio à ocupação. Não deveria ter sido parcelado. Além disso, não respeitou os 30m de afastamento do São Bartolomeu estipulados pela legislação ambiental. Concordo totalmente com seus comentários. Essa rua é o retrato de Viçosa.

sábado, 11 de maio de 2013

Aos trancos e barrancos

Há aproximadamente um ano a Câmara Municipal aprovou uma mudança da lei do uso do solo para coibir grandes movimentos de terra em Viçosa.


Mas é só ver o que está acontecendo na Avenida Marechal Castelo Branco, onde dois imensos barrancos estão sendo removidos e a terra levada para as margens da rodovia nas proximidades da Usina de Reciclagem.


E esssa na av. Gomes Barbosa? Parece que vai receber um mega conjunto de prédios.
Para onde vai tanta terra?

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Homenagem ou castigo?


Esta é a Rua Prefeito João Francisco da Silva, em Viçosa. Homenagem ou castigo?

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Nova safra de Arquitetos e Urbanistas


Mais uma turma de Arquitetos e Urbanistas formados na UFV.


Mais uma placa, mais uma safra de Arquitetos e Urbanistas


Parabéns a todos!
Muita ética e muito sucesso!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Apertamento



O Jornal do Estado de São Paulo, Estadão, publicou uma matéria no último dia 4, sobre imóveis de 20 m² que estão sendo lançados na capital paulista. Com espaço interno reduzido nas unidades, as áreas sociais ganharam importância.
As construtoras estão vendendo que nem chuchu na feira e a preço de tomate fora de safra.
Os próximos apertos serão em 3D, com empilhamento de usos, diminuição de pé direito.

domingo, 5 de maio de 2013

Conferência da Cidade!

Nova data
"Implicações do crescimento urbano desordenado"


Esse será o tema da V Conferência da Cidade de Viçosa, a ser realizada no dia 23 e 24  de maio de 2013,
Compareçam!


Sutil, mas enganosa


São muitos casos os de propagandas com imagens de futuros edilícios  sempre cercados de áreas verdes, mas a realidade é outra. Será mais um prédio espremido entre outros, quase sem afastamentos laterais.


Afastamento entre prédios



Em Juiz de Fora a legislação urbanística promove a construção de edifícios com um afastamento tão pequeno entre eles que não tem sentido, apenas cria espaços mínimos insuficientes para garantir uma boa ventilação e quase impossível de permitir sua manutenção  Surgem casos muito estranhos, parece uma situação mal resolvida, uma lei mal remendada.


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Symbiosis


Ilustração livro de Terezinha Mucci - O verso eo reverso do favor na obra de Machado de Assis, 1994

Do fundo do baú



Uma fachada de um dos estudos preliminares para o projeto do DAU/UFV, de 1993/94. 
Desenho meu e de Frederico Tófani.
Coisa bem Pós-moderninha.