quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Avanço na gestão urbana

Prefeitura inicia notificação de imóveis ociosos e aplicação do IPTU progressivo


A medida combate a especulação e a degradação urbana. IPTU progressivo será aplicado depois do prazo de adequação para parcelamento, construção ou uso dos imóveis. São Paulo é a primeira capital a implantar a ferramenta, prevista na Constituição

A Prefeitura de São Paulo vai notificar os proprietários de imóveis de imóveis que não estão sendo usados para que parcelem, construam ou deem uso. O objetivo da medida é orientar o uso racional e adequado do espaço urbano, evitando a especulação e a degradação de regiões que têm infraestrutura. Os proprietários que não se adequarem estarão sujeitos à aplicação do IPTU progressivo e, eventualmente, a desapropriação.

Ver a matéria em:

http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/noticias/prefeitura-inicia-notificacao-de-imoveis-ociosos-e-aplicacao-do-iptu-progressivo/#comment-823

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sala Especialíssima



Excelente programa da TV Viçosa - um Sala Especial deste dia 29 de outubro - sobre a questão da água em Viçosa, especialmente sobre a bacia do Ribeirão São Bartolomeu.
Estiveram presentes os professores Antônio Bandeira, ex-Reitor da UFV, agora no SAAE; Rafael Bastos e José Carlos Bohnemberger.
Depois de evidenciado que há muitas décadas se fala na questão da proteção da bacia, uma tragédia anunciada que se expõe neste fim de ano.
Os especialistas falaram o tempo todo em tom de alerta.
Não houve planejamento adequado, a conivência do poder executivo com a ocupação desenfreada e a sua negligência quanto à fiscalização contribuiram  gravemente para chegarmos à situação atual.
É um momento de crise para  que sejam iniciadas as providências: concluir o projeto da Área de Proteção Ambiental do São Bartolomeu, proibir construções irregulares, recompor as matas.
Tudo isso exige forte e imediata ação do poder executivo.

Vale apena assistir ao programa na
http://www.rtv.ufv.br/salaespecial
http://www.rtv.ufv.br/video?id=S6qPnMtV2d0

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A idade das Megacidades


Lagos- Nigéria - um dos crescimentos mais dramáticos.

http://storymaps.esri.com/stories/2014/growth-of-cities/

sábado, 25 de outubro de 2014

Socorro São Bartolomeu!

Situação das represas da UFV que abastecem a UFV e boa parte de Viçosa, MG.

Situação da represa do acesso ao Acamari em 30 de setembro de 2014

Situação da represa do acesso ao Acamari em 25 de outubro de 2014.

Até  onde vai piorar nós não sabemos. Mas ainda há alguma dúvida que o desmatamento, a construção de condomínios ilegais, as construções às margens do ribeirão e a ameaça da construção do mineroduto são ameaças reais e não delírios dos ecochatos?
Cadê o Codema, o DEMA, cadê o projeto da APA São Bartolomeu?

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

As eleições não acabam no domingo.


A importância de um projeto



O Colégio de Viçosa, fundado na década de 1950, volta a ter a grande chance de ser ocupado plenamente, com um novo projeto para sua ocupação como Centro Administrativo, em que o gabinete do prefeito e todas as secretarias estejam juntas.

Essa ideia já tem mais de 20 anos. Na década de 1990, com o prefeito Geraldo Reis , tentou-se, sem sucesso,  transformar o Colégio num Centro de Atenção Integral à Criança – CAIC e a construção de uma quadra esportiva coberta. Em 2000 o Colégio foi tombado pelo município, com o mesmo objetivo. Em 2002 foi objeto de Trabalho Final de Graduação com a intenção de abrigar a  prefeitura, um desejo do então prefeito Fernando Sant'Ana e Castro. Outros projetos foram feitos em 2006 e 2012. O prédio tem 5.400 metros quadrados, uma área mais que suficiente.

Atualmente, o município gasta mais de trinta e quatro mil reais por mês, pagando aluguéis para abrigar seus órgãos. Além de otimizar o funcionamento entre as secretarias e o gabinete, o município fará uma economia de uns 410 mil reais por ano. 

Nos primeiros dias deste mês de outubro, fui solicitado pelo prefeito em ajudá-lo na realização desse sonho compartilhado por tantas outras pessoas. Com a colaboração do Professor D'Antonino (Secretário Municipal de Fazenda), do Engenheiro Civil da Prefeitura André e das Arquitetas Thuany (Prefeitura) Araújo e Jéssica Lima (UFV) formatamos um projeto em quatro dias e esse foi apresentado à Secretaria de Governo do Estado de Minas Gerais. Com um sinal inicial positivo, foram acrescentados os vários documentos solicitados e, uma semana depois do começo, a boa notícia nos chega: R1320.000,00, a fundo perdido, valor suficiente para revitalizar uma boa parte do Colégio de Viçosa, e assim iniciar o processo de mudança definitiva de vários setores para o portentoso edifício.

Com esse valor será possível colocar forro, nova instalação elétrica, pisos, trocar as janelas, substituir parte do reboco, construir sanitários, rampa e plataforma acessível e ter uma nova pintura, tudo isso em uma área de aproximadamente 1.500 metros quadrados.

Ressalto a importância da vontade política de um prefeito enquanto assume uma difícil tarefa, da atuação conjunta de competências técnicas na elaboração de um projeto que resultará em concretas melhorias para Viçosa. Aguardemos que as obras se iniciem brevemente e que o ideal do Colégio de Viçosa revitalizado seja, enfim, realizado.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Cinco novas tendências de Mobilidade Urbana



1. A crescente emancipação dos consumidores
2. A idade modifica a mobilidade
3. Leis que desestimulam o uso dos carros
4. Redução das emissões de CO2 mudando as paisagens urbanas
5. Ter um carro é caro
http://othaudoblog.blogspot.com.br/2014/10/cinco-novos-conceitos-de-mobilidade.html

Sobre o Mineroduto da Ferrous


Hora da UFV se posicionar

Vem aí o

Seminário UFV - Debate impactos do mineroduto da Ferrous na UFV e em Viçosa.

18 de novembro de 2014

domingo, 19 de outubro de 2014

Atuação dos Arquitetos e Urbanistas

Números de RRTs indicam: arquitetos e urbanistas já atuam em todo o Brasil. http://www.caubr.gov.br/?p=32953

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Um Colégio, um sonho...

Colégio de Viçosa: Sede da Prefeitura?
Volta e meia ressurge a oportunidade de dar ao Colégio de Viçosa um destino melhor, digno de seu porte.

Pátios internos

Um prédio mal cuidado à espera de revitalização.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

UFOB/ Barreiras, BA


Campus da Universidade Federal do Oeste da Bahia, em Barreiras. Um longo e frutífero caminho a trilhar. Já são 17 cursos.

http://www.ufob.edu.br/1/2013-09-13-14-32-50/cursos-de-graduacao-barreiras.html

sábado, 11 de outubro de 2014

Pela nossa sobrevivência

Viçosa enfrenta uma das piores secas de sua história.

De acordo com o diretor técnico do SAAE, Edson Bhering, a UFV deveria suspender suas aulas até o período das chuvas e, assim, esperar normalizar o volume de água para retomar suas atividades.

A previsão é de que o volume de água atual suporte por mais 25 dias, e o SAAE já inicia nesta sexta-feira o racionamento no abastecimento de alguns bairros.

Segundo algumas entidades estudantis, a reitoria teme que a suspensão das aulas possa influenciar as eleições da universidade prejudicando a intenção de reeleição da Reitora e, também, a candidatura do atual Vice-Reitor.

Nos solidarizamos à população viçosense que há meses sofrem com a falta de água e com a negligencia da Reitoria e Prefeitura em procurar medidas para solucionar esta questão.

Viçosa passa pou uma das piores secas de sua história.


Queremos salientar a população viçosense que a situação pode piorar significativamente com a implantação do mineroduto da Ferrous na cidade. O mineroduto, além de atingir o Ribeirão São Bartolomeu, afeta também a bacia do Turvo Sujo onde é captado água para ETA 2, que já apresenta vazões fragilizadas.

E, se não bastasse, ainda atinge a bacia Turvo Limpo. Manancial este, que o SAAE pretende instalar uma futura ETA 3, sendo esta uma das principais alternativas para a solução à falta de água em Viçosa. Acontece que o mineroduto atinge brejos, córregos, nascentes e até atravessa o Rio Turvo Limpo, o que, iminentemente, irá comprometer a captação de água na região.

Nesse sentido, mais do que nunca, Viçosa tem de optar entre ÁGUA ou MINERODUTO?

É preciso canalizarmos nossos esforços para impedir a passagem do mineroduto da Ferrous na região e aprimorarmos o processo de implantação de medidas técnicas que possam garantir a segurança hídrica de Viçosa a longo prazo.

A Câmara Municipal de Viçosa assinou recentemente uma moção de repúdio à passagem do mineroduto.

Você não acha que já passou da hora para a Prefeitura e Reitoria somarem nesta luta em defesa das águas e contra o mineroduto?

CAMPANHA PELAS ÁGUAS E CONTRA O MINERODUTO DA FERROUS
Núcleo Viçosa

http://campanhapelasaguas.blogspot.com.br/2014/10/nota-de-solidariedade-vicosa.html


Até quando?

Feira de Santana, uma cidade com 700.000 habitantes, centro econômico vigoroso, sem plano diretor, cresce sem oportunidades de participação popular, com baixíssimos índices de coleta  de esgotos e drenagem. Até quando as cidades serão tratadas dessa maneira?

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Racionamento de água em Viçosa, MG

Racionamento de água começa nesta sexta-feira (10/10/2014) em Viçosa; veja a escala dos bairros
PUBLICADO POR VIÇOSA NEWS

VIÇOSA (MG) – O Serviço Autônomo de Água e esgoto de Viçosa, SAAE, após conversa com o Ministério Publico e Universidade Federal de Viçosa, reuniu toda equipe técnica nesta quinta-feira, dia 09, para avaliação das condições de abastecimento de água do município.

Através dos levantamentos técnicos concluiu que a providencia mais prudente para o momento é a decretação do racionamento de água.

Viçosa encontra-se em Estado de Alerta desde o dia 06 de fevereiro de 2014, e de lá até hoje as chuvas não aconteceram, provocando a pior crise de abastecimento da região.

O SAAE Viçosa está conseguindo manter o abastecimento local através de manobras técnicas e programas de conscientização do uso racional da água direcionados à população.

Segundo o diretor técnico do SAAE, Edson Bhering, se não forem tomadas medidas rápidas de racionamento Viçosa poderá ter seus reservatórios totalmente esvaziados.

http://vicosanews.com/2014/10/09/racionamento-de-agua-comeca-nesta-sexta-feira-10-em-vicosa-veja-a-escala-dos-bairros/

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Centro Histórico de Barreiras, Ba

Rua antiga, com um acervo eclético bem conservado. Foto Ítalo Stephan, 2014

Morada no centro. Foto Ítalo Stephan, 2014

Rua com agradável ambiente sombreado.Foto Ítalo Stephan, 2014

Balaustrada acompanhando o Rio Grande. Foto Ítalo Stephan, 2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Barreiras, Ba - Panoramas

Uma cidade com quase 150 mil habitantes e uma discreta verticalização.Foto Ítalo Stephan, 2014

 O Rio Grande, afluente do São Francisco. Foto Ítalo Stephan, 2014

A cidade e a chapada ao fundo. Foto Ítalo Stephan, 2014

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Barreiras, Bahia

Barreiras, Bahia. Uma das principais avenidas. Foto Ítalo Stephan, 2014 

Barreiras, oeste da Bahia. 151.000 habitantes (2010). Importante centro comercial e de serviços a 863 km de Salvador.
Barreiras, Bahia. Centro comercial. Foto Ítalo Stephan, 2014 

O município possui Plano diretor, de  2004. Não há uma secretaria específica de planejamento urbano.
Barreiras, Bahia. Centro comercial. Foto Ítalo Stephan, 2014 

Uma cidade que cresce com as mazelas da falta de um controle do uso e ocupação do solo. Construções sem alinhamento e afastamento. Calçadas feitas por cada proprietário, sem acessibilidade. Trânsito pesado e confuso, estacionamentos sem organização. Acessibilidade muito prejudicada.
Barreiras, Bahia. Rua de bairro periférico. Foto Ítalo Stephan, 2014 

A drenagem e a arborização são precárias e  inexistentes.

São Desidério, Ba

A represa de onde sai um canal de irrigação é um lindo atrativo de lazer e recreação. Foto Ítalo Stephan, 2014

Sua população segundo dados do IBGE no censo 2010 era de 27.659 habitantes.
Rua comercial. A cidade apresenta um vigor econômico, mas acompanhado de um crescimento urbano desajeitado, inacessível. Foto Ítalo Stephan, 2014

Museu da Cidade, no antigo núcleo urbano. Foto Ítalo Stephan, 2014

Sua área, de 15.157 quilômetros quadrados, o faz ser o segundo maior município da Bahia em extensão.
Prefeitura Municipal de São Desidério, Ba. Foto Ítalo Stephan, 2014.

Em 2013, foi apontado pelo IBGE como o maior PIB agrícola do país.
Praça nova com Centro de Informações Turísticas. Foto Ítalo Stephan, 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Art Naif

Linda obra de Art Naif de Shirley Ferreira. Pedaços de madeira pintados e colados num grande painel.

sábado, 4 de outubro de 2014

II SEPAAC - Viçosa 2014

Fotos do bem sucedido II Sepaac - Seminário de Planejamento e Avaliação do Ambiente Construído, em Viçosa.

Auditório do Centreinar

Professora Jupira (UFMG) com participantes

Professores Gustavo (UFJF) e Paulo Tadeu (UFV)

No primeiro plano os professores: Vasco (Coimbra), Joyce  (UFV), Patrícia (UFMG, Aline (UFV),  Jupira (UFMG),  Nirce (UFPel), Andressa (UFV) e Andrea (UFRJ),

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Parklet de container

Parklets criados em contêineres de cargas revitalizam as ruas do Canadá


Ver em: http://goo.gl/Ld6jIY

O futuro dos planos diretores em julgamento

Em julgamento no Supremo Tribunal Federal, o futuro dos Planos Diretores

A ameaça é séria: regras isoladas podem criar direitos e obrigações sem respeitar a legislação urbanística. CAU/BR e IAB apoiam manifestação do FNRU.

Começou a tramitação final no Supremo Tribunal Federal de  ação de Brasília que, pela primeira vez, leva um tema de direito urbanístico/planejamento urbano a ser discutido em plenário. Há um risco potencial de serem declaradas constitucionais regras isoladas que criam direitos e obrigações urbanísticas fora do contexto global estabelecido pelos Planos Diretores. A tese a ser fixada pelo STF orientará a política de desenvolvimento urbano a ser executada por todos os municípios brasileiros, em razão do reconhecimento de “existência de repercussão geral” na matéria.

Para o Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU), o caso é extremamente preocupante, pela ameaça de descaracterização do Estatuto da Cidade e de dispositivos da Constituição. A posição é compartilhada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e pelo Instituto de Arquitetoss do Brasil (IAB),  por colocar em risco a obrigatoriedade de Plano Diretor como instrumento de política de ordenamento urbano.

A ação em julgamento é o Recurso Extraordinário 607940, referente à constitucionalidade da Lei Complementar 710/2005 do Distrito Federal, que estabelece regras para a criação de condomínios fechados. A ação foi proposta pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), contra a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT),  que em Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), julgou constitucional a lei complementar.

Para o MPDFT, autor da ADI, ao permitir a criação de condomínios fora do contexto urbanístico global, a lei viola o Estatuto da Cidade, que define o plano diretor, obrigatório para cidades com mais de 20 mil habitantes, como instrumento básico de política de desenvolvimento e de expansão urbana. Além disso, a aprovação teria ocorrido “de modo extravagante”, sem a elaboração de estudos urbanísticos globais e sem a participação efetiva da população”.

O julgamento foi iniciado em 21/08/14 e encontra-se suspenso em razão de pedido de vista do ministro Luiz Fux, após os votos dos ministros Zavascki, relator, e Luis Roberto Barroso, pelo desprovimento, e do ministro Marco Aurélio, pelo provimento do recurso.

REJEIÇÃO DO FNRU - Em Carta aos Ministros do STF, o FNRU é incisivo: “Rejeitamos qualquer atitude do judiciário que desconheça todo este esforço de elaboração de Planos Diretores participativos, pois permitirá refazer esse processo a partir de novas legislações, incoerentes com os parâmetros legais já estabelecidos no Plano Diretor”.

“Permitir que uma Lei Complementar emende a legislação urbana municipal, passando ao largo do processo pelo qual o Plano Diretor vigente foi implementado, desprestigiará as inúmeras providências técnicas e administrativas, além da ampla participação popular exigida para a elaboração desse instrumento. Isso descumpre os dispositivos constitucionais, além do Estatuto da Cidade. As decisões tomadas por um coletivo de políticos, sem a suficiente avaliação técnica e debate democrático, trará como resultado uma Lei desconexa, elaborada ao sabor da preferência momentânea de vereadores, fora do planejamento base representado pelo Plano Diretor”.

O FNRU lembra que a natureza jurídica do Plano Diretor é sui generis, se assemelhando a uma Constituição Urbanística do Município, e por isso deve ser salvaguardado.

(Com informações do FNRU e do STF)

http://www.caubr.gov.br/?p=31848