sexta-feira, 21 de julho de 2017

BARCELONA - MOBILIDADE

Muitas ruas, vias locais teêm apenas uma faixa, sem estacionamento. As calçadas são perfeitamente contínuas, com pavimneto em ladrilho de cimento ( o que varia um poco é o padrão do desenho). As ruas são interrompidas pelas calçadas contínuas.

Marcação de piso de local para a colocação dos containers de lixo. Arborização.

Faixa de serviço com estacionamento de motocicletas, arborização e sinalização

Calçadas em perfeito estado, rampa de acesso ao metro. torre de elevador de acesso.

Faixa de pedestre, piso pintado em vermelho próximo à esquina. Passeio alargado na esquina. meio fio e sarjeta em pedra.

Via de veículo estreitada próxima à esquina.  Rampa suave.  Calçada larga e em perfeitas condições

Fotos Ítalo Stephan, Julho de 2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

BARCELONA - MOBILIDADE URBANA


Há uma abundante  rede de transportes em Barcelona. Pode -se usar metrô 11 linhas,  163 estações em 124 km ( como com paração o Rio tem apenas 54 km)

Há uma extensa rede de VLT, em 29 km de extensão.

Há uma extensa  rede de ônibus  novos, confortáveis e seguros.

As travessias em segurança de pedestres são  bem sinalizadas,  as vias de automóveis são estreitadas enquanto as calçadas são alargadas.

Existem escadas rolantes e elevadores em escadarias muito extensas.

Pequenos detalhes resolvem situações que facilitam a acessibilidade em ruas muito inclinadas.

Tudo funciona. 

Fotos Ítalo Stephan, Julho 2017


BARCELONA - CONTRASTES







Barcelona - Há uma enorme diversidade de estilos arquitetônicos misturados.  Contrastes de materiais, usos e épocas convivem harmoniosamente, Fotos Ítalo Stephan, Julho 2017.

terça-feira, 18 de julho de 2017

BARCELONA - ARBORIZAÇÃO

Barcelona  de intensa arborização. As árvores atraem e abrigam pássaros, trazem flores e sombras na hora certa.

As sombras de árvores protegem as edificações no verão.

As árvores embelezam as ruas.

As árvores valorizam a paisagem

As árvores compartilham com monumentos arquitetônicos.

As árvores  são parte de Barcelona.

Fotos ítalo Stephan, Julho de 2017.

BARCELONA ENCANTADORA

Cidade porto do Mediterrâneo. Começou romana, depos medieval . centro da revolução industrial da Espanha, agora é uma das mais criativas cidades do mundo.

Cidade planejada. Mais de 1,6 milhões de habitantes. Recebe cerca de 14,6 milhões de turistas por ano.

Cidade das amplas calçadas. 

Cidade do transporte fácil e acessível.

Cidade dos magníficos museus. 

Cidade dos belos monumentos.

Cidade dos arquitetos geniais.

Fotos Ítalo Stephan, Julho 2017.


segunda-feira, 17 de julho de 2017

GAUDI E A SAGRADA FAMÍLIA - UMA OBRA GENIAL







Antoni Gaudi projetou uma catedral, morreu há noventa anos sem conhecer sua obra prima construída. Uma obra que só será concluída daqui a dez anos, quando do centenário da morte do artista catalão. obra prima da arquitetura, patrimônio mundial. Gaudi - um gênio, um artista inigualável.
Fotos Ítalo Stephan, Julho 2017.

BARCELONA ACESSÍVEL







Barcelona - ramblas, ciclovias em toda a cidade, calçadas largas, contínuas e planas, uma cidade onde. ciclistas, pedestres, cadeirantes, mães com carrinhos de bebê,  jovens com patinetes circulam com facilidade e com respeito mútuo. Fotos Ítalo Stephan, Julho de 2017.

AH! AS ESQUINAS DE BARCELONA!





Esquinas de Barcelona - produto do Plano de Idelfonso Cerdá,  de 1859, que também abriu vias largas, o  que permitiu a criação das inúmeras ramblas  passeios largos, praças lineares ao longo das vias. 
Fotos Ítalo Stephan, julho 2017

sexta-feira, 14 de julho de 2017

CARTA AOS PREFEITOS



Texto publicado no jornal A Tribuna, Viçosa-MG, em 12/07/2017

Conheci muitos prefeitos em minha trajetória profissional. Trabalhei com vários, no Maranhão e em Minas Gerais. Consegui com alguns criar condições para que houvesse um certo espaço e tempo para o planejamento e gestão urbanas em seus governos (Arari, Grajaú, Santa Inês, São Luís, no Maranhão; São Sebastião do Paraíso e Viçosa, em Minas). Infelizmente, em muitos municípios em que pesquisei e em que tive a oportunidade de ser parte da construção de um plano diretor, quase nada mudou (prefiro não citar). Conheci uns poucos exemplos de prática com seriedade e competência que trouxeram muitos benefícios, como é o caso da pequenina Rio Doce.

Posso afirmar que, especialmente nas pequenas cidades, os prefeitos muitas vezes desconhecem o potencial do planejamento urbano. Simplesmente vão deixando as coisas acontecerem na cidade e na área rural, sem impor critérios, sem respeitar legislação ambiental federal, sem se preocupar com os impactos da expansão urbana no meio ambiente. O planejamento existe, mas muitas vezes mal feito, pensado apenas para atender a critérios políticos, partidários; de benefícios a parentescos; pessoais ou de interesses não explícitos.  Muitos municípios, quando têm, possuem um aparato legislativo de ordenamento territorial (Código de Obras, Lei de Parcelamento do Solo, Lei de Zoneamento) desatualizados, desfigurados e desobedecidos. Não há critérios para aprovação de projetos nem fiscalização suficiente e eficiente. Muitos municípios são obrigados a terem seus planos diretores, não por terem mais de vinte mil habitantes, mas por serem de interesse histórico ou estarem em áreas de risco. No entanto os prefeitos não se sentem obrigados a implementá-los. Dominam o desconhecimento ou o amadorismo.

Nas prefeituras, em geral, são feitos projetos de forma muito corrida para aproveitar recursos que surgem de repente. Daí saem projetos oportunistas, mal pensados que acabam contribuindo para o surgimento de mais problemas para sua cidade. Prefeitos, em seu desconhecimento, preferem construir caríssimos parques de exposição que ficam sem uso 360 dias num ano; preferem trocar calçamentos de paralelepípedo por asfalto e quebra-molas; preferem ganhar algumas dezenas de casas populares baratas em locais ermos e inacessíveis sem melhorar a infraestrutura urbana da cidade; preferem ver a troca de prédios históricos por “modernas” construções em vidro temperado; preferem contratar duplas sertanejas com altíssimo cachê ao invés de incentivar e impulsionar a cultura local, rica e presente em cada cidade.

Todo ano sobra dinheiro, muito dinheiro nos órgãos públicos federais, por falta de projetos de obras arquitetônicas e urbanísticas. Quem já adotou a pratica de desenvolver projetos aprendeu que isso dá muito certo, que isso traz muitos recursos para seu município. Um projeto é o início da mudança.  Ter o hábito de fazer projetos amplia em muito a vinda de obras e programas para um município. Manter uma pequena equipe ou contratar projetos é um custo mínimo com benefícios multiplicados a todos os setores da administração, como a cultura, ação social, patrimônio cultural, meio ambiente, saneamento, habitação, esportes, lazer e segurança saúde e educação. Esta equipe pode atuar na implementação da legislação e na análise e aprovação dos projetos de construção. Eu recomendo com muita convicção que os prefeitos se informem, estudem, capacitem-se, reconheçam que o planejamento e a gestão urbanos são fundamentais para lidar com tempos difíceis, para gerar tempos menos difíceis no futuro.